Completando 70 anos, Conservatório será considerado patrimônio imaterial – Jornal da Manhã de Uberaba

A celebração será realizada hoje, durante apresentação no anfiteatro da Prefeitura Municipal, às 19h30

Como havia adiantado o Jornal da Manhã, a Fundação Cultural de Uberaba (FCU) anunciou que o Conservatório Estadual de Música Renato Frateschi será reconhecido como patrimônio imaterial da cidade. A celebração será realizada hoje, durante apresentação no anfiteatro da Prefeitura Municipal, às 19h30. A instituição completa 70 anos amanhã.

Conforme comunicado da FCU, a instituição será registrada na modalidade “Saberes, linguagens e expressões musicais”, proposta pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais, o Iepha. O evento é aberto ao público, sem custo para entrada.

Ronaldo Amâncio, presidente da FCU e vereador licenciado, propôs a medida enquanto atuava na Câmara Municipal de Uberaba. “Não temos dúvida da importância do conservatório. O que a Fundação está fazendo é reconhecer a importância do que é ensinado. A música, a arte, e isso é um patrimônio imaterial. É isso que as pessoas aprendem ali dentro e carregam consigo para o resto de suas vidas”, expressa. 

A diretora Maria Luísa Fernandes Cardoso destaca que o conservatório tem grande relevância na cidade. “Temos colaborado com a formação musical de instrumentistas, compositores e de professores de música de Uberaba e região. Praticamente todos os músicos da cidade passaram por aqui”, pontua. Apresentação contará com o Coro Lírico do Conservatório, 10 pianos, e estará sob direção da professora Marcella Manutti. O Conservatório Estadual de Música Renato Frateschi foi criado em 1949.

Jornal da Manhã de Uberaba – PorLuiz Gustavo Rezende

Conservatório Renato Frateschi será registrado como patrimônio imaterial de Uberaba – Jornal de Uberaba

Homenagem aos 70 anos que acontecerá na Prefeitura terá 10 pianos

A Fundação Cultural de Uberaba (FCU) realizará o registro do Conservatório Estadual de Música Renato Frateschi como patrimônio imaterial da cidade. A ação faz parte da comemoração de 70 anos de fundação do Conservatório e acontecerá no dia 6 de setembro, dia do aniversário, no anfiteatro da Prefeitura de Uberaba, às 19h30. A instituição será registrada na modalidade “Saberes, linguagens e expressões musicais”, proposta pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais, o Iepha. O evento é aberto ao público.

O reconhecimento partiu do presidente da Fundação Cultural de Uberaba, Ronaldo Amâncio. “Não temos dúvida da importância do Conservatório Estadual de Música Renato Frateschi. O que a Fundação está fazendo é reconhecer a importância do que é ensinado. A música, a arte, e isso é um patrimônio imaterial. É isso que as pessoas aprendem ali dentro e carregam consigo para o resto de suas vidas”.

A diretora Maria Luísa Fernandes Cardoso destaca que o conservatório tem grande relevância na cidade. “Temos colaborado com a formação musical de instrumentistas, compositores e de professores de música de Uberaba e região. Praticamente todos os músicos da cidade passaram por aqui”, pontua a diretora. Maria Luísa conclui que a solenidade no Executivo representa o reconhecimento da prática educacional do conservatório.

Esse evento terá uma apresentação especial. Segundo o coordenador dos eventos e vice-diretor Rafael Mariano, a homenagem aos 70 anos que acontecerá na PMU será emocionante e contará com o Coro Lírico do Conservatório, que inclui 10 pianos e 40 mãos, sob direção da professora Marcella Manutti. “Essa apresentação do dia 06 será interessante, pois remete a uma prática do início do conservatório, que começou basicamente com um piano apenas. Hoje, oferecemos curso de 20 instrumentos e temos cerca de 3 mil alunos”, revela.

O Conservatório Estadual de Música Renato Frateschi foi criado em 1949, fundado pelo Maestro Alberto Frateschi juntamente com Alda Lóes Frateschi, gestora até 1987. A instituição recebeu o apoio de Prefeitura Municipal da época onde o Dr. Luiz Boulanger Pucci era prefeito. O mesmo era chamado pela imprensa de ‘Prefeito da Instrução’ pois em sua gestão houve considerável avanço educacional. Alberto, que estudou música em BH, fez curso superior de música no Conservatório Mineiro de Música. O nome da instituição foi uma forma de homenagear o seu pai, Renato Frateschi que também era Maestro.

Jornal da Manhã – Por Redação.